Morelli NutriçãoMorelli Nutrição

Artigos

Vitaminas

A palavra “vitamina” originou-se do termo vitae amine, criado por Casimir Funk, em 1911, estendendo-se até o ano de 1920, quando se encerrou o primeiro ciclo de investigações sobre as vitaminas.
As vitaminas são compostos orgânicos que ocorrem naturalmente em tecidos vegetais e animais em diferentes quantidades. São essenciais para a manutenção do metabolismo normal, desempenhando funções fisiológicas especificas.
As vitaminas existem naturalmente em nossos alimentos e são afetadas pela industrialização, armazenamento e preparação. As vitaminas são classificadas, de acordo com sua solubilidade na água ou na gordura. Atualmente, pelo menos 13 vitaminas são consideradas nutrientes essenciais. Elas são classificadas em 2 grupos, conforme suas características químicas: Lipossolúvel  e hidrossolúvel.

Vitaminas Lipossolúveis
Constituem o grupo de substancias orgânicas com estrutura variada, insolúveis em água, mas solúveis em lipídios e seus solventes orgânicos. Não tem valor energético. Faz parte deste grupo as vitaminas A, D, E, K.

Vitamina A
A vitamina A é necessária para o crescimento e manutenção do tecido epitelial, para o desenvolvimento dos ossos e para a manutenção da acuidade visual na obscuridade. Um precursor da vitamina A, o caroteno, é encontrado nos vegetais amarelos e verdes. O organismo tem a capacidade de converter o caroteno em vitamina A.
A deficiência de vitamina A causa à cegueira noturna, pele descamativa e áspera, ressecamento da membrana mucosas, dando em resultado a diminuição de resistência a infecções e desenvolvimento defeituoso de ossos e dentes, perda de apetite, diminuição do paladar e ulceração de córnea.
Toxidade: Secura de pele e mucosas, cabelos ásperos, unhas frágeis, fraqueza, anorexia, cefaleia, irritabilidade, dores ósseas e hidrocefaleia e vômitos (crianças e lactentes).
Fontes de vitamina A: Fígado, manteiga, creme de leite, leite integral, gema de ovo, vegetais verdes e amarelos, óleo de peixe, legumes e frutas amarelos e/ou verde-escuros.

Vitamina D
A vitamina D está relacionada com a absorção e utilização do cálcio no desenvolvimento dos ossos e dentes. Uma deficiência de vitamina D causa deformidades ósseas: raquitismo nas crianças e osteomalácia nos adultos diminui a absorção de cálcio intestinal, diminui cálcio e fósforo plasmáticos e aumenta fosfotase alcalina, fraqueza muscular.
Toxidade: anorexia, perda de peso, sonolência, cefaleia, vômitos, cálculos renais, tremores, hipertensão arterial sistêmica, diarreia, obstipação e arritmias cardíacas.
Fontes de vitamina D: Fígado, óleo de peixe, sardinha, atum, salmão, arenque, exposição ao sol (a vitamina D é sintetizada na pele), leite enriquecido com vitamina D, óleo de fígado de peixe, manteiga, gema de ovo.

Vitamina E
O papel especifico da vitamina E na nutrição humana é de antioxidante celular. A Vitamina E é encontrada em muitos alimentos de modo que em uma variada dieta ela não é deficiente. A deficiência de vitamina E causa dores musculares, esteatose, encefalopatia, depósitos de lipopigmentos, anemia hemolítica em prematuros e alterações no epitélio seminífero, alterando a espermatogênese.
Toxidade: Náuseas, cefaleia, fadiga, diminuição de fatores de coagulação, déficit na função circulatória, hipoglicemia.
Fontes de Vitamina E: Óleos vegetais, margarinas, manteiga  gema de ovo, nozes, amêndoas, avelã, vegetais de folhas verdes, carnes, leite e cereais.

Vitamina K
A vitamina K é essencial para a formação da protrombina (proteína do plasma envolvida na coagulação do sangue). É sintetizada pela Escherichia Coli no intestino grosso, também está largamente difundida nos alimentos. A deficiência da vitamina K, que ocorre somente nos recém - nascidos, resulta da esterilidade de seus intestinos ou de doenças nas quais a absorção da vitamina é comprometida, tendência ao aumento de hemorragias, hematúria, epistaxes, osteoporose por descarboxilação parcial ou total da osteocalcina (proteína da matriz óssea).
Toxidade: Anemia hemolítica e hiperbilirrubinemia.
Fontes de vitamina K: Fígado, gema de ovo, óleos vegetais (principalmente os de canola e soja), leite de vaca, vegetais folhosos verde-escuro, principalmente brócolis, couve-de-bruxelas, repolho, alface, salsa, espinafre e agrião.

Vitaminas Hidrossolúvel
As vitaminas hidrossolúveis não são armazenadas em quantidades significativas no organismo, o que leva á necessidade de suprimento diários dessas vitaminas, evitando consequências danosas da falta desses compostos no seu funcionamento normal. Pertencem a esse grupo as vitaminas do complexo B e vitamina C.

Vitamina B1 – Tiamina
Também conhecida como aneurina ou vitamina F. é necessária ao organismo como componente de enzimas; é importante na decomposição e na oxidação de hidratos de carbono. A deficiência de tiamina resulta em Beribéri – confusão mental, edema, paralisia periférica, taquicardia e cardiomegalia, rigidez, câimbras musculares, anorexia, oftalmoplegia, distúrbio neurológicos e cardiovasculares – Síndrome de Wernicke-Korsakoff, irritabilidade, depressão, obstipação intestinal, dispneia e palpitação.
Toxidade: Em megadoses terapêuticas: náuseas, hemorragia digestiva, colapso cardiovascular, edema pulmonar, pruridos, urticárias.
Fontes de Vitamina B1 – Tiamina: Carnes vermelhas, vísceras, legumes, levedo de cerveja, cereais integrais, leite de vaca, gema de ovo, peixe, carne de porco, galinha e leguminosas secas (feijões, lentilhas etc.).

Vitamina B2 – Riboflavina.
A vitamina B2 ou riboflavina é essencial para o metabolismo e necessária para o crescimento. As fontes de riboflavina tendem a baixar na dieta americana habitual. A deficiência de riboflavina causa arriboflavinose, neuropatia, queilose, glossite, estomatite angular, queimaduras no pés e  seborreia nasolabial, nariz e testa.
Toxidade: Não há relatos.
Fontes de Vitamina B2 – Riboflavina: Carnes vermelhas e brancas, vísceras, leite de vaca, queijos, ovos, vegetais de folhas verdes e grãos integrais.

Vitamina B3 – Niacina
Niacina ou ácido nicotínico é essencial para a utilização das proteínas. O organismo esta apto a sintetizar a niacina a partir de aminoácido essencial: triptofano. Uma deficiência de niacina resulta em pelagra-desordem mentais, dermatite eritematosa e diarreia: doença dos 3Ds; vaginite, fraqueza muscular, anorexia.
Toxidade: Arritmias, náuseas e vômitos, diarreia, úlcera péptica, e aumento da bilirrubina e transaminases.
Fontes de Vitamina B3 – Niacina: Carnes vermelhas e brancas, peixes (linguado e atum), fígado, ovos, gérmen de trigo, leite, manteiga de amendoim, ervilha e batata.

Vitamina B5 – Ácido Pantotênico.
O ácido pantotênico é assim chamado porque se encontra em todos os seres viventes. Atua no metabolismo dos nutrientes, na síntese do colesterol e nos hormônios esteroides, além de participar do funcionamento do córtex adrenal. Devido a sua larga distribuição nos alimentos, suas deficiências causa emagrecimento, crescimento lento, cefaléia, alterações nervosas, úlcera digestiva, insônia, náuseas e vômitos, dormência e formigamento (mãos e pés), constipação intestinal e fraquezas dos músculos extensores dos dedos.
Toxidade: Em megadoses: diarreia.
Fontes de vitamina B5 – Pantotênico: Carnes Vermelhas, miúdos (fígado, coração e rins), brócolis, couve-flor, batata, tomate, cogumelo, amendoim, gérmen de trigo, peixe (salmão).

Vitamina B6 – Piridoxina
A vitamina B6 é utilizada pelo organismo para metabolizar nutrientes, para sintetizar aminoácidos não essências, para converter triptofano em niacina e para assegurar o perfeito funcionamento das células sanguíneas e do sistema nervoso central. As deficiências da vitaminas B6 causa mudança de personalidade, irritabilidade, depressão, perda do senso de responsabilidade, hipertrofia da papilas gustativas, seborreia na região nasolabial, erupção cutânea acneiforme papular na face.
Toxidade: Não há relatos.
Fontes de Vitamina B6 – Piridoxina: Carnes vermelhas, fígado, peixe, ovos, leite de vaca, gérmen de trigo, legumes, batata, banana e aveia.

Vitamina B7 – Biotina
A biotina também ocorre em quase todos os seres vivos. É importante na síntese dos ácidos graxos, na utilização de glicose, no metabolismo proteico e o uso de vitamina B12 e ácido fólico pelo organismo. Uma substancia proteica existente na clara de ovo crua, avidina, se combina com a biotina e impede sua absorção. A deficiência de biotina tem sido produzida pela ingestão de grande quantidade de clara de ovo crua, perda parcial da memória, depressão, náuseas e vômitos, palidez, dermatite seca escamosa, anorexia, glossite, hipotonia e mialgia.
Toxidade: Não há relatos.
Fontes de vitamina B7- Biotina: Carnes vermelhas, fígado, gema, de ovo, levedo de cerveja, leite, cogumelo e amendoim.

Vitamina B9 – Ácido Fólico, Folato
O ácido fólico ou folacina é essencial para o metabolismo de certos aminoácidos e para a maturação dos glóbulos vermelhos do sangue. A deficiência  de ácido fólico causa anemia megaloblástica, dermatite, acne, eczema, anorexia, perda de peso, glossite, dor na língua, palpitação, problemas de memória, irritabilidade, cefaléia, diarreia, má absorção, dispneia, febre e modificação do caráter.
Toxidade: Não há relatos.
Fontes de Vitamina B9 – Ácido Fólico, Folato: Miúdos, vegetais folhosos, milho, amendoim, levedo de cerveja, nozes, amêndoa, castanha de caju, castanha do Pará, leguminosas e grãos em geral.

Vitamina B12 – Cobalamina
A vitamina B12 é utilizada na produção das enzimas  necessárias á metabolização dos alimentos, do ácido nucleico e do ácido fólico. É também necessária ao próprio funcionamento de todas as células, particularmente da medula óssea, as do trato gastrintestinais, e as do sistema nervoso. A ausência do fator intrínseco na secreção gástrica impede a absorção da vitamina B12, dando em resultado a anemia perniciosa. A deficiência de vitamina B12 causa, anemia perniciosa e megaloblástica, alterações neurológicas, perda da memória, diminuição do senso de posição, anorexia, constipação, palpitações, aumento no tempo de coagulação sanguínea e cefaléia.
Toxidade: Não há relatos.
Fontes de Vitaminas B12 – Cobalamina: Alimentos fontes de proteína animal.

Vitamina C – Ácido Ascórbico
A vitamina C é necessária para a produção do colágeno, para a integridade das paredes capilares, para a formação dos glóbulos vermelhos do sangue, para o metabolismo dos aminoácidos e para redução dos sais de ferro. A deficiência  de vitamina C causa má cicatrização das feridas, escorbuto – manifestações hemorrágicas, irritabilidade vasomotora, alterações dermatológicas, distúrbios psicológicos, emagrecimento, dores ósseas, cefaléia e  astenia.
Toxidade: Necrose tecidual e diarreia osmótica.
Fontes de vitamina C: Frutas ácidas/cítricas – acerola, caju, goiaba, manga, laranja, abacaxi, maracujá, limão, tomate, batata e vegetais folhosos, repolho, brócolis,  morango e melão cantalupo.

Colina
Pode, ou não, ser considerada vitamina e ser sintetizada a partir do aminoácido metionina com intervenção da vitamina B12 e da Folacina. A deficiência da colina causa esteatose hepática.
Toxidade: Não há relato.

Referências Bibliográficas:
BODINSKI, Louis H; Dietoterapia – Princípios e Prática. São Paulo: Editora Atheneu, 2006.
PACHECO, Mauela; Tabela de Equivalentes, Medidas Caseiras e Composição Química dos Alimentos. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Rubio, 2006.

Criado em: 24-05-2012 - Alterado/Corrigido em: 03-06-2012

As informações contidas no site MORELLINUTRICAO possuem apenas caráter educativo.