Morelli NutriçãoMorelli Nutrição

Dicas

Comida fora da refrigeração e o que fazer para evitar problemas de saúde!

Ninguém gosta de desperdiçar comida. É por isso que, normalmente, o que sobra de uma refeição em casa costuma ir para a geladeira. Mas, se antes ou depois disso os alimentos forem deixados em temperatura ambiente por mais de duas horas, começa o desenvolvimento de bactérias que podem causar contaminações.

Para explicar melhor o que acontece com a comida fora da refrigeração e o que fazer para evitar problemas de saúde, o Bem Estar desta segunda-feira (25) convidou o infectologista Caio Rosenthal e a bióloga especializada em alimentos Karen Signori.

O maior perigo é quando os micro-organismos invasores são patogênicos, ou seja, não alteram o sabor nem o visual do prato. Eles se multiplicam a cada 20 minutos: por isso, o ideal é separar as sobras em vasilhas pequenas – que favorecem o congelamento integral do conteúdo – e colocá-las sempre na geladeira. Dessa forma, na hora de resfriar as porções e esquentá-las, tudo será aproveitado.

Se o alimento ainda estiver quente, guarde-o na geladeira com uma parte destampada – de preferência em recipiente de vidro – , e só tampe-o quando estiver resfriado. Isso porque as gotículas de água que surgem aumentam a umidade interna do pote e facilitam o crescimento de bactérias. E é importante deixar a embalagem fechada para evitar a contaminação cruzada entre produtos crus e cozidos.

Para saber exatamente quantas bactérias há nos alimentos que ficam até 3 horas fora da geladeira, o programa levou algumas amostras de arroz, feijão, frango e carne para análise em laboratório. Essa contagem só é possível após dois dias, que é o tempo necessário para os micro-organismos serem vistos a olho nu.

Segundo os especialistas, toda comida contém bactérias, e o que a deixa imprópria para o consumo é a quantidade e o tipo desses micróbios. Por isso, a manutenção da geladeira é importante, pois ela precisa estar bem vedada e gelar da forma correta. Também fique atento aos prazos de validade, que mudam depois que os produtos são abertos.

Rosenthal destacou que as bactérias tóxicas que crescem em vidros ou enlatados podem provocar o botulismo, uma doença neurológica grave. Se uma pessoa abrir um vidro de palmito e ele estourar, é sinal de que contém a toxina botulínica. Latas deformadas ou estufadas também indicam a presença dessa substância.

No restaurante, o balcão de saladas deve ser ligado com no mínimo uma hora de antecedência, para que atinja a temperatura correta. Também pode ser colocado gelo em volta dos recipientes, para manter o alimento resfriado.

Panos
Outro perigo na cozinha é usar um pano para secar áreas diferentes. Dessa forma, a contaminação de um local sujo vai para outro limpo.

Fonte:G1.com.br

 

Criado em: 04-07-2012 - Alterado/Corrigido em: 03-10-2012

As informações contidas no site MORELLINUTRICAO possuem apenas caráter educativo.