Morelli NutriçãoMorelli Nutrição

Busca

Você procurou por: sucos

Sua busca retornou '13' resultados.

Feito com 250 mil pessoas, estudo apontou risco um terço maior da doença entre pessoas que consumiam quatro latas ou copos de líquidos dietéticos por dia.

O estudo realizado com 250 mil pessoas verificou que as que consumiam quatro latas ou copos de refrigerantes ou sucos dietéticos por dia aumentavam o risco de depressão em até um terço. A pesquisa, apresentada na reunião anual da Academia Americana de Neurologia, não indicou a causa dessa ligação.

O estudo também analisou o efeito do consumo diário de café e verificou que os consumidores contumazes da bebida tendem a sofrer menos de depressão. Segundo os pesquisadores, as pessoas que bebiam quatro copos de café por dia tiveram 10% menos chance de serem diagnosticados com depressão ao longo dos dez anos do estudo do que aqueles que não bebiam café.

"Nossa pesquisa sugere que cortar ou reduzir o consumo de bebidas com adoçante ou trocá-las por café não adoçado pode reduzir naturalmente seu risco à depressão", afirma o coordenador do estudo, Honglei Chen, do Instituto Nacional de Saúde da Carolina do Norte. Ele disse, porém, que mais estudos são necessários para explorar as causas dessa relação.

Os pesquisadores advertem ainda que os resultados se aplicam aos objetos do estudo – pessoas acima de 50 anos vivendo nos Estados Unidos –, mas podem não ser repetidos em outras amostras.

Críticas

Os resultados da pesquisa americana são contestados pela Associação Dietética Britânica. Para a nutricionista Gaynor Russell, porta-voz da organização, o estudo não significa necessariamente que adoçantes provocam depressão.

"Para começar, as pessoas que sofrem de depressão podem se ligar mais à ideia de que suas bebidas adoçadas provocam o problema e então adicionar uma inclinação em seus relatos de consumo passado, especialmente porque os refrigerantes nos Estados Unidos são muito demonizados. Além disso, pode ser que o consumo de bebidas dietéticas esteja ligado à obesidade e ao diabetes, o que podem ser em si mesmos causas para a depressão", afirma.

Segundo a nutricionista, "os adoçantes não caloríficos têm um papel importante em dietas para as pessoas que tentam perder peso ou que têm diabetes , e certamente não é recomendável que elas substituam suas bebidas dietéticas por mais café".

Russell afirma que a segurança dos adoçantes, como o aspartame, já foi extensivamente estudada por pesquisadores e é certificada por agências reguladoras.

 

Fonte:BBC - http://saude.ig.com.br/alimentacao-bemestar/2013-01-09/pesquisa-liga-bebidas-diet-a-maior-risco-de-depressao.html

A rede de fast food americana McDonald’s anunciou que, a partir de 2013, vai mostrar as calorias de seus lanches nos painéis acima dos caixas, que hoje já exibem fotos e preços dos produtos. A medida vale para toda a América Latina e segue uma tendência iniciada nos EUA, em estados como Califórnia e Nova York.
s informações mais claras sobre o valor energético dos sanduíches – que há alguns anos já consta na embalagem, no papel que cobre a bandeja, em folhetos e no site – devem ser implantadas entre março e junho do ano que vem.

Só nos EUA, 14 mil restaurantes e drive-thru devem se adaptar à mudança, que atende a uma pressão de ativistas da área de saúde pública em luta contra a epidemia de obesidade. Além disso, a ação deve forçar todas as unidades da rede no mundo a se adaptarem.

A maioria das grandes cadeias de fast food, porém, tem resistido a divulgar abertamente as informações nutricionais de seus produtos, por ainda não haver legislação a respeito – apenas a ameaça de multas.


No território americano, a alteração ficará para depois das eleições presidenciais. Ao todo, o McDonald's no país recebe 25 milhões de pessoas por dia, em todas as regiões. De acordo com especialistas, cerca de um terço das calorias que a população dos EUA obtém diariamente vem de comidas compradas fora de casa.

Segundo a diretora sênior de nutrição do McDonald's nos EUA, Cindy Goody, esse movimento é uma forma de ajudar os clientes a compreender melhor suas escolhas alimentares.

Anteriormente, a rede de fast food já havia tomado algumas medidas para tornar os itens do menu mais saudáveis, como reduzir em mais da metade a quantidade de batatas fritas no McLanche Feliz e adicionar sucos, frutas e a opção de nuggets em substituição ao hambúrguer nesse kit infantil.

No verão passado do Hemisfério Norte, a empresa também lançou um cardápio que destacava os produtos com menos de 400 calorias.

Até 2020, o McDonald's pretende aumentar ainda mais as frutas e os vegetais frescos nos combos, e reduzir as quantidades de gordura saturada e açúcar dos alimentos.

Um adulto em cada três e quase uma criança em cinco são obesos nos EUA, enquanto dois terços dos adultos e um terço dos pequenos têm sobrepeso.

Composta prioritariamente por arroz e feijão, associados a alimentos calóricos e de baixo teor nutritivo, a dieta de 90% dos brasileiros está fora do padrão recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no que diz respeito ao consumo de frutas, verduras e legumes. É o que aponta o estudo Análise de Consumo Alimentar Pessoal no Brasil, da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009. O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira (28), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o IBGE, a OMS e o Guia Alimentar Brasileiro sugerem o consumo de 400 g de frutas, legumes e verduras por dia. Nem 10% da população ingere o indicado. As maiores médias de consumo diário per capita no país são de feijão (182,9 g/dia), arroz (160,3 g/dia), carne bovina (63,2 g/dia), sucos (145,0 g/dia), refrigerantes (94,7 g/dia) e café (215,1 g/dia).  (Siga a leitura da reportagem após o infográfico sobre o prato do brasileiro)

De acordo com o levantamento, os brasileiros, principalmente os adolescentes, consomem em grande quantidade alimentos como biscoitos, linguiça, salsicha, mortadela, sanduíches e salgados. Entre as bebidas, destaque para os refrigerantes e sucos com adição de açúcar. O consumo de biscoitos recheados foi quatro vezes maior entre os adolescentes (12,3 g/dia) do que entre adultos (3,2 g/dia) e foi mínimo entre os idosos (0,6 g/dia). Para sanduíches, os adolescentes e os adultos apresentaram médias de consumo duas vezes maiores do que os idosos.

Destacam-se nos domicílios rurais o consumo de arroz, feijão, peixes frescos e farinha de mandioca. Já na área urbana, segundo o IBGE, destaque para os refrigerantes, pão de sal, cerveja e sanduíches.

Quando considerada a alimentação de homens e mulheres, o estudo aponta que os homens têm menor consumo per capita de verduras, saladas, e grande parte das frutas e doces. Já o consumo per capita de cerveja e bebidas destiladas chega a ser cerca de cinco vezes maior entre os homens do que entre as mulheres - o consumo de cerveja é de 8,1 g/dia entre as mulheres, contra 55,7 g/dia entre os homens.

Impacto da renda na alimentação
O estudo do IBGE indica uma relação entre as condições de alimentação e a renda familiar per capita do brasileiro. De acordo com o levantamento, alimentos considerados saudáveis como o feijão, preparações à base de feijão, milho e preparações à base de milho são mais consumidos entre a população de menor renda. O mesmo acontece com o consumo médio de batata-doce, enquanto a batata frita, por exemplo, considerada altamente calórica, é mais consumida na classe de maior renda.

O consumo de doces, refrigerantes, pizzas e salgados fritos e assados, considerados prejudiciais à saúde, também é reduzido na menor categoria de renda do brasileiro. Por outro lado, o consumo de frutas e verduras aumenta conforme a renda, assim como o de leite desnatado e os derivados de leite, que têm custo mais elevado.

No caso do arroz, cuja ingestão diária chega a 168,1 g por pessoa nas famílias com renda per capita de até R$ 296, o índice cai para 129,7 g nas famílias com renda per capita acima de R$ 1.089. O mesmo ocorre com o feijão, com consumo diário de 195,5 g e 127,5 g, respectivamente.

 

Fonte: G1.com.br

Temperos no lugar de sal grosso e frutas cítricas para reduzir a absorção de gordura. Veja mais dicas para uma refeição saudável.


Churrasco é algo saudável. Se engana quem pensa o contrário e acaba arrependido toda vez que reúne os amigos para um domingo ao lado da churrasqueira. O que realmente faz mal são os abusos, regra quase universal em prol da boa saúde. Mas isso também não significa que você precise deixar de comer bem para adotar medidas que mais parecem com uma degustação.

O segredo está em reduzir aquilo que é menos tolerado pelo corpo, como gordura e sal – eles podem comprometer a saúde com mais rapidez.

“Troque parte do sal grosso por temperos”, sugere a nutricionista clínica Virgínia Nascimento, vice-presidente Associação Brasileira de Nutrição (Asbran).

Tomilho e endro combinam com carne vermelha. Alecrim tempera melhor carne branca, em especial carne de aves. “O sabor dos temperos reduz a necessidade de sal, que pode ser usado em quantidades bem menores. Além disso, eles têm propriedades digestivas, que vão ajudar a eliminar o colesterol ruim do organismo”, afirma a especialista.

Quanto à gordura das carnes, saiba que o carvão em brasa leva vantagem na hora de eliminar os excessos e evitar o ganho de peso. “Estudos já mostraram que a carne de churrasco absorve menos gordura que o alimento preparado em panela”, revela Virgínia.

A nutricionista explica que a gordura pode ser mantida na carne durante o preparo, para garantir maciez e suculência, mas deve ser retirada na hora de comer. “Se for retirada antes, a carne vai acabar muito seca e haverá prejuízo ao sabor”, afirma Jandir Dalberto, diretor de operações da churrascaria Fogo de Chão. Além disso, todo alimento preparado em grelhas conserva mais seus nutrientes do que os cozidos na água.

Só tenha cuidado com as carnes que acumulam muita gordura entre as fibras, gordura mais difícil de ser eliminada. Maminha e fraldinha são simples de separar a gordura, sendo que um pedaço de 60 a 80 gramas varia entre 100 e 150 calorias. Já a picanha acumula um pouco mais de gordura entre fibras, mas nada muito grave. Um pedaço sem a gordura evidente tem cerca de 130 calorias.

Sucos cítricos

Tente alternar o consumo de cerveja ou de caipirinha com sucos de frutas cítricas, pois elas têm propriedades muito úteis durante um churrasco. Primeiro, reidratam o corpo. Depois ajudam a compensar a perda causada pelo calor do verão com o consumo de bebidas alcoólicas, que são diuréticas.

As frutas cítricas são ricas fontes em fibras solúveis, um tipo de fibra capaz de formar uma espécie de gel no estômago que absorve a gordura. A pectina, uma dessas fibras, se liga aos lipídios, fazendo com que parte deles seja excretada pelo organismo, em vez de absorvida. “Isso combate o colesterol ruim”, diz a nutricionista.

Outra vantagem das frutas cítricas é sua capacidade de auxiliar na absorção do ferro presente nas carnes. “Enquanto o organismo se ocupa com a absorção do ferro, mais gordura acaba sendo eliminada”, explica. A melhor forma de consumir sucos de frutas cítricas é sem coar, para não perder os nutrientes do bagaço, e com frutas frescas. Evite os sucos industrializados.

Só carne?

É inegável que a grande estrela do churrasco é a carne e todo o resto pode facilmente acabar no esquecimento. Mas existem truques com outros alimentos que ajudam a realçar o sabor da carne.

Abóbora, cebola e tomate são as combinações mais básicas, já bem conhecidas. Elas podem ser feitas separadamente, para a pessoa montar o prato com as quantidades que desejar, ou feitas em conjunto, num espeto previamente montado. A vantagem do espeto é evitar que a pessoa deixe de comer os legumes por preguiça e acabe abusando das carnes.

O mesmo pode ser feito com berinjela, pimentão, cenoura e palmito pupunha. Só tenha cuidado com o preparo do tomate, que fica pronto bem antes dos outros alimentos. Todos estes alimentos não ultrapassam a casa das 30 calorias por 50 gramas, um índice bem baixo.

A batata assada no papel alumínio, sem exagero porque ela é rica em carboidratos, também vale como acompanhamento saudável. “Tempere com orégano, sem nenhum sal. O sabor é excelente”, afirma a nutricionista. Até fatias de abacaxi podem ser assadas e combinadas em espetos de carne, com a vantagem de já trazerem consigo fibras solúveis.

Bem passada

Quem gosta de carne bem passada precisa ter cuidado para não exagerar porque o excesso de calor na carne ajuda a liberar substâncias tóxicas. Chamadas de nitrosaminas, estas substâncias estão associadas ao risco de câncer e de mutações genéticas.

Não gosta de carne mal passada? Tudo bem. Dê preferência ao alimento ao ponto, sem sangue ao cortar. Além de mais saudável, a carne ao ponto é tida como mais saborosa.

Vegetarianos

Você gosta de carne, mas tem um grande amigo vegetariano que acaba passando fome em todo churrasco. Uma boa dica são os espetos de tofu temperado. Eles são uma fonte de proteína e vão evitar que seu amigo vegetariano acabe estufado de tanto pão com vinagrete.
Capriche nos acompanhamento, mas tenha cuidado com o pão de alho. Ele é um verdadeiro vilão dos churrascos. As versões já prontas, vendidas em mercados e açougues, são altamente calóricas, carregadas em gordura saturada.

Não é difícil preparar um pão de alho em casa. Use oito dentes de alho picados para cada colher de sopa de maionese e acerte a consistência da pasta com queijo minas cremoso. Tempere com sal e orégano.

Sente para comer

Em vez de montar o prato e fazer uma refeição no churrasco, muita gente prefere apenas petiscar uma carne aqui e outra ali. O problema disso é que não dá para mensurar quanta comida a pessoa realmente ingeriu. O petisco aparentemente inofensivo pode se tornar uma refeição constante, que passa facilmente das 3 mil calorias.

A primeira dica é não pular refeições antes do churrasco. Isso ajuda a não chegar com aquela fome exagerada, fatal para os abusos. Prepare seu prato com os acompanhamentos para ter uma real noção do que vai ingerir. Evite mais de uma fonte de carboidratos, opte por pão ou arroz ou farofa.

Se quiser beliscar mais carne depois, já estabeleça uma quantidade previamente, considerando o que você colocou no prato. E tente comer essa carne pelo menos três horas depois da primeira refeição para fracionar a alimentação e não se sentir tão pesado.

Mesmo com todas essas dicas, o churrasco é uma refeição que acaba sendo mais pesada e, por isso, precisa ser compensada no dia seguinte. Tome bastante água e sucos naturais, valorize uma alimentação mais leve, com bastante salada. E fuja do sedentarismo praticando exercícios com regularidade.

Muitos alimentos são compostos essencialmente de água e podem ajudar na hidratação diária

 Água é essencial para o bom funcionamento do organismo, manutenção da temperatura corporal e até para beleza. “Devemos ingerir de 1,5 a 2 litros de líquidos por dia, por meio da ingestão de água, água de coco, sucos ou chás. Essa quantidade pode variar de acordo com o metabolismo de cada pessoa, a prática de atividades físicas, temperatura do ambiente e tipos de alimentos ingeridos”.

Você acha difícil andar com uma garrafinha por aí? Pois saiba que certos alimentos podem contribuir para sua boa hidratação. “A quantidade de líquido pode diminuir de acordo com a ingestão de alimentos com alto teor de água”.

A idéia, então, é acrescentar ao cardápio frutas, verduras e legumes crus, naturalmente ricos em água. Esses alimentos hidratam e facilitam o trabalho dos rins, que eliminam a retenção de líquidos com eficiência.

Entre eles estão alface (95% de água), chuchu (95%), pepino (95%), rabanete (95%), nabo (94%), tomate (94%), couve-flor (92%), melancia (92%), melão (90%), abacaxi (87%), maçã (86%), cenoura (86%), goiaba (86%), clara de ovo (75%), banana (74%).
Além de contribuir com a hidratação eles têm poucas calorias, colaborando para manutenção da boa forma. E o melhor: os alimentos com grande quantidade de água podem ajudar a combater a celulite.

Um estudo realizado pelo dermatologista americano Howard Murad, autor do livro A Solução para Celulite, diz que hidratação é importante para tratar o problema. Mas, mais eficaz do que beber oito copos de água por dia, seria a ingestão desses alimentos.

Isso porque, segundo o especialista, as células são capazes de absorver melhor a água contida nos alimentos, principalmente aqueles ingeridos crus, como frutas e verduras. Assim, com o organismo bem hidratado, o problema que atormenta as mulheres seria minimizado.

 

Na véspera de Natal e no Réveillon normalmente comemos muita variedade de pratos e com isso consumimos calorias em excesso. Por isso durante o dia procure fazer uma alimentação mais leve à base de carnes magras, vegetais folhosos e frutas variadas.


Antes das festas faça um lanche saudável utilizando frutas, cereais integrais e queijo light. Esta é uma dica muito importante para não exceder na quantidade ingerida durante os eventos.

O ideal é diminuir a quantidade de alimento a ser ingerido, e na medida do possível combinar pratos mais calóricos e elaborados com saladas variadas (utilizar vários vegetais folhosos como, por exemplo: alface americana, rúcula, agrião, repolho, etc.), pois promovem a sensação de saciedade.

Dê preferência às preparações assadas e grelhadas. Evite as frituras.

Cuidado com preparações a base se creme de leite, maionese, pois esses ingredientes são bem calóricos.

Para as sobremesas abuse nas frutas e nos sucos. Utilize as frutas da época, pois são baratas e de excelente qualidade: abacaxi, ameixa, goiaba, laranja, mamão, manga, maracujá, melancia, nectarina, nêspera e pêssego.

Priorize suas escolhas e não fique pensando (principalmente quando chegar em casa) o que não comeu ... Coma devagar até para perceber o quanto é suficiente para você!

Reaproveitar sobras de natal, no dia seguinte:

Nada de jogar fora as sobras da ceia. Podemos reaproveitar carnes, legumes e até salada, desde que não tenham maionese ou creme de leite.

O reaproveitamento deve ser feito ainda no dia 25 porque os alimentos já foram manipulados e não podem ser guardados por muito tempo.


•    Faça uma torta com os alimentos que sobraram


Ingredientes da Massa: 2 ovos, ½ xícara de óleo, 1 xícara de leite, 2 xícaras de farinha de trigo, 1colher de sopa de fermento em pó,  sal e queijo ralado a gosto.


Recheio: Sobra de pernil, chester, peru desfiado; tomate picado, cenoura ralada, cebola, ervilha/milho, salsinha e sal a gosto. Misture todos os ingredientes e reserve.


Modo de preparo: Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador. Unta um refratário com margarina e farinha, despeje a massa no refratário e por cima coloque o recheio, salpique um pouco de queijo ralado e leve para assar em forno médio por 25 min, aproximadamente.


Alguns alimentos e suas calorias

Nozes: 2 unidades (10g) = 65,1 kcal
Castanha do Pará: 2 unidades (8g) = 52,4kcal
Pistache: 8 unidades (10g) = 57,7 kcal
Avelã: 10 unidades (10g) = 62,8 kcal
Castanha de caju torrada e s/ sal: 5 unidades (12,5g) = 71,75 kcal
Panetone: ½ fatia (40g) = 147,5 kcal; light: ½ fatia (40g) = 110 kcal
Peru: Peito assado – 1 pedaço pequeno (120g) = 210 kcal
Chester: 1 fatia (20g) = 41 kcal
Tender:  2 fatias (50g) = 105 kcal


A banana é produzida na maioria dos países tropicais e é uma das frutas mais consumidas no mundo, tendo o Brasil como o segundo maior produtor e o primeiro consumidor mundial. As variedades mais difundidas no Brasil são: Prata, Pacovan, Prata-anã, Maçã, Mydore, Terra e D’ Angola, além da Nanica e Nanicão voltadas principalmente à exportação.
A banana é considerada hoje uma das principais fontes de amido na dieta. Mas além de sua concentração de carboidratos e energia, também apresenta elevadas proporções de vitaminas e minerais.


A banana ainda verde é considerada um alimento funcional pois, quando cozida, apresenta alto conteúdo de amido resistente presente na polpa da fruta. O benefício do amido resistente é similar ao da fibra alimentar, sendo que este não é digerido e absorvido no intestino delgado, podendo ser fermentado no intestino grosso, produzindo substâncias que servem como fonte de energia para a produção das bactérias benéficas do nosso intestino, além de manter a integridade da mucosa do nosso intestino, que é responsável pela absorção adequada dos nutrientes e pela barreira da entrada de substâncias maléficas.


Desta forma, o consumo de banana verde auxilia no trânsito intestinal adequado, atuando na prevenção e tratamento de quadros como diarréia e constipação, além de prevenir o desenvolvimento de doenças como o câncer de intestino.


Além de contribuir para a saúde do intestino, a banana verde exerce outros efeitos benéficos ao organismo. A banana verde é considerada um alimento de baixo índice glicêmico, ou seja, sua digestão e absorção são mais lentas, e assim a quantidade de glicose liberada no sangue ocorre gradativamente, mantendo os níveis de glicose no sangue controlados, e reduzindo a necessidade de liberação de insulina para que esta glicose entre na célula, contribuindo então para a prevenção do desenvolvimento de diabetes, além do acúmulo de gordura corporal, devido ao aumento da saciedade promovido pelo amido resistente. Os estudos indicam que o consumo de amido resistente também atua na redução do colesterol, pela redução de sua produção pelo fígado, e pelo aumento da sua eliminação pelos ácidos biliares. Desta forma, a banana verde pode também ter uma importante função na prevenção do desenvolvimento de doenças do coração.


A banana verde na forma cozida é apropriada ao preparo de subprodutos como a biomassa e a farinha de banana verde, que são utilizadas para a confecção de bolos, biscoitos e outras massas, substituindo a farinha de trigo. Além disso, você pode adicionar a biomassa da banana verde em sucos de frutas e vitaminas. O preparo da banana verde é simples e pode ser feito em casa. Veja como preparar a biomassa:


1. Lave as bananas verdes com casca, uma a uma, utilizando esponja com água e sabão e enxágüe bem;

2. Em uma panela de pressão com água fervente (para criar choque térmico), cozinhe as bananas verdes com casca, cobertas com água por 20 minutos;

3. Desligue o fogo após os primeiros 8 minutos, e deixe que a pressão continue cozinhando as bananas;

4. Espere o vapor escapar naturalmente. Não force o processo abrindo a panela debaixo da torneira, por exemplo;

5. Ao término do cozimento, mantenha as bananas na água quente da panela;

6. Vá aos poucos tirando a casca da polpa, que deve ser passada imediatamente no processador. É importante que a polpa esteja bem quente, para não esfarinhar;

7. Coloque a quantidade desejada da polpa cozida quentíssima no processador;

8. Processe até obter uma pasta bem espessa;

Se não for utilizar imediatamente, guarde a polpa em saco plástico. Essa polpa pode ser guardada por 3 a 4 meses no congelador, mas necessitará de um reprocessamento.
Abaixo segue um exemplo de uma receita saudável em que a biomassa pode ser adicionada:

Suco funcional:

- Suco de 1 laranja
- 1 folha de couve
- 100 ml de suco de uva
- 1 colher de sopa de linhaça
- 1 colher de sopa da biomassa de banana verde
Bata os ingredientes no liquidificador e consuma este suco energético no café da manhã.


Caso seja complicado prá você produzir a pasta da banana verde, dê preferência à farinha de banana verde, que pode ser encontrada em qualquer loja de produtos naturais.

O verão é o período no quais altas temperaturas se concentram e os dias são mais prolongados. Por causa da temperatura elevada ocorre uma diminuição do metabolismo basal, pois nessa fase o organismo se esforça bastante para manter a temperatura interna do corpo. Como o organismo nesse período concentra grande parte de energia na manutenção da temperatura corpórea é importante saber consumir alimentos que não irão interferir na energia para a digestão.

Alimentos indicados: Frutas, são ótimas, além de serem fontes de vitaminas, possuem bastante água que, além de refrescarem também hidratam. Verduras e legumes, fontes de minerais e ricas em fibras, são leves e ajudam na digestão. Picolés à base de água e de frutas, Suco de fruta, Muita Água, Chás, Água de coco, sobremesas a base de frutas, Cereais integrais, Carnes Magras, Queijos magros.

Se for comer um sanduíche, escolha os que são feitos com carnes magras, como um peito de peru, frango e queijos magros ( ricota, cottage). As carnes magras possibilitam uma digestão melhor, evitando o desconforto intestinal.

Alimentos a serem evitados: alimentos gordurosos (carnes gordas, queijos gordurosos, molhos à base de creme de leite, maionese). Evitar frituras e maneirar na bebida alcoólica. Pois no verão nosso organismo fica mais sensível aos condimentos fortes e às gorduras, podendo causar desconforto e mal estar.

Cuidado com os alimentos feitos com leite, gordura e ovos na sua preparação. Necessitam de refrigeração adequada, pois o calor aumenta a proliferação de bactérias que podem causar intoxicação alimentar.

Não consumir de forma alguma alimentos perecíveis que ficam expostos à temperatura ambiente.

Fracione as refeições diárias (coma mais vezes, em menor quantidade).

 

Passo 1 - Acredite que não existe leite fraco
  
Todo leite materno é forte e adequado para o melhor crescimento e desenvolvimento do bebê até 4-6 meses de vida. Nessa fase, não precisa dar outro alimento. No primeiro dia, a produção de leite é pequena. Esse leite, chamado colostro, é transparente ou amarelado, tem alto valor nutritivo, é suficiente para as necessidades do bebê e age como uma vacina, protegendo-o contra doenças. Se eu chorar, verifique se estou com fome, molhado ou se necessito de colo e carinho.
  
Passo 2 - Saiba que quanto mais o bebê mama, mais leite você produz
  
Sugar o peito é o que estimula a produção de leite. Por isso, não dê ao seu filho chás, água, sucos ou outro leite, nos primeiros 4-6 meses de vida.
  
Começar a mamar desde a sala de parto facilita a descida mais rápida do leite. Procure manter o bebê ao seu lado , do nascimento até a alta. A criança que mama no peito várias vezes, dia e noite, de acordo com a vontade do bebê, não necessita de mais nada. Dê os dois peitos a cada mamada.
  
Passo 3 - Coloque o bebê na posição correta para mamar
  
Para que o bebê sugue bem, ele deve estar em posição de poder abocanhar não só o mamilo (bico do peito), mas grande parte da aréola (parte escura do peito), com o corpo totalmente voltado para o da mãe (barriga com barriga). Quando a criança pega o peito corretamente, com a boca bem aberta, o leite sai em quantidade suficiente, o bebê engole tranquilamente e a mãe não sentirá dor.    
  
Passo 4 - Cuide adequadamente das mamas
  
Para evitar rachaduras, não lave os mamilos antes e depois das mamadas. Basta o banho diário, evitando uso de sabonete nos mamilos. O próprio leite protege a pele, evitando infecções. Não use pomadas nem cremes nos mamilos. A exposição das mamas ao sol durante 15 minutos pela manhã também ajuda a prevenir rachaduras. Troque o sutiã quando estiver molhado.
  
Passo 5 - Retire leite quando for necessário (ordenha)

  
Evite que a mama fique muito cheia e pesada. Se isto acontecer, lave bem as mãos, faça massagens circulares com as pontas dos dedos, pressionando as mamas do mamilo para a base. Depois, coloque os dedos onde termina a aréola e aperte com cuidado até o leite sair. Guarde o leite em frasco fervido por dez mimutos, na geladeira (24 horas) ou freezer (15 dias) ou doe a um Banco de Leite Humano. Para aquecer o leite, use banho-maria. Na falta de geladeira, o leite poderá ser guardado até 2 horas em local fresco e dado ao bebê de copinho ou colher, quando a mãe não estiver em casa.
  
Passo 6 - Nunca use bicos, chupetas, chuquinhas ou mamadeiras
  
O uso de bicos, chupetas ou mamadeiras deve ser evitado, pois prejudica a amamentação. Os bebês que fazem uso de mamadeira acabam largando o peito.
  
Passo 7 - Tome líquidos, alimente-se e descanse sempre que possível
  
A mãe que amamentava deve tomar líquidos em abundância, melhorar sua alimentação e dormir ou descansar sempre que possível.
  
Passo 8 - Só tome medicamentos com ordem médica
  
A mãe só deverá tomar medicamentos quando orientada pelo médico ou profissional de saúde habilitado.
  
Passo 9 - Continue a amamentação, se possível, até os 2 anos de idade
  
A ciência hoje recomenda que todo bebê deve ter amamentação exclusivamente no peito até 4-6 meses de vida e continuar mamando até 2 anos de idade, ao mesmo tempo em que são introduzidos novos alimentos adequados para a criança.
  
Passo 10 - Conheça os direitos da mãe trabalhadora
  
A mãe que trabalha fora tem direito:
  
• À licença gestante de 120 dias;
• A dois descansos remunerados de meia hora por dia, quando retornar ao trabalho, para amamentar seu filho, até 6 meses de idade;
• A berçário ou creches nos locais de trabalho, sempre que a empresa tiver 30 ou mais mulheres trabalhando.
  
Atenção: se por algum motivo você não puder amamentar o seu filho, não ofereça o peito de outra mãe. Procure um bom banco de leite humano ou um profissional de saúde para orientá-la.
  
(Fonte: Secretaria de Políticas de Saúde)

Sucos industrializados e biscoitos recheados, se consumidos sem controle, podem prejudicar a saúde também porque contêm grandes quantidades de sódio. De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão, 30% da população sofrem da doença que, na maioria das vezes, é causada pela ingestão involuntária de sal.

"A onda da boa saúde leva as pessoas a escolherem alimentos com pouco açúcar e gordura, mas elas se esquecem da quantidade de sódio presente nas tabelas nutricionais. Hoje, cerca de 60% dos idosos são hipertensos por conta do exagero", explica a presidente da Asbran (Associação Brasileira de Nutrição), Márcia Fidelix. O sal é adicionado aos alimentos industrializados como forma de conservante.

Porém, nas embalagens, só é informada a quantidade de sódio, e não a de sal. "O consumidor deve estar atento aos rótulos e lembrar que o consumo máximo diário de sódio recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) deve ser de 2 g e a quantidade máxima de sal é de 5 g, o equivalente a uma tampa de caneta cheia."

Pesquisa realizada pelo departamento de nutrição da USP, em 2009, revelou que todas as classes sociais consomem quantidades superiores às recomendadas. "Os mais ricos consomem cerca de 4,3 g, e os mais pobres, 5g", diz o nutricionista e coautor do estudo, Daniel Henrique Bandoni.

De acordo com Bandoni, as informações do rótulo deveriam ser mais fáceis. O consumo de sódio é essencial para a saúde. Em excesso, porém, pode causar aumento da pressão arterial e acidente vascular cerebral.

PARA PEGAR LEVE NO SAL
Nada de sopa pronta
É melhor optar por uma alimentação mais natural, evitando comida industrializada

Compare
Antes de comprar alimentos, compare a quantidade de sódio nas tabelas nutricionais dos produtos

Substitua
Tente adicionar menos sal na hora de preparar a comida, aumente o uso de temperos como azeite, alho, cebola e salsa

Atenção aos números
Organização Mundial da Saúde recomenda o consumo de até 5 g de sal ou 2 g de sódio por dia

Fontes: OMS e USP; Folha de São Paulo
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/770808-excesso-de-sodio-em-alimento-industrializado-nao-e-percebido.shtml

É considerada como um alimento funcional, ou seja, que contém, além de seus nutrientes básicos (carboidratos, proteínas, gorduras e fibras), elementos que podem diminuir o risco de algumas doenças pois seu uso contínuo pode proporcionar aumento da defesa orgânica e redução do ritmo de envelhecimento celular.

Na composição da semente de linhaça estão presentes proteínas, fibras alimentares e ácidos graxos poliinsaturados (Ômega 3 e Ômega 6), que lhe conferem a propriedade de alimento funcional. A semente de linhaça é a mais rica fonte de Ômega 3 existente na natureza.

Os investigadores do INSTITUTO CIENTÍFICO PARA ESTADO DA LINHAÇA DO CANADÁ e dos Estados Unidos, têm enfocado sua atenção no rol desta semente na prevenção e cura de numerosas doenças degenerativas.

Segue algumas perguntas e respostas sobre o assunto:

O consumo da linhaça proporciona quais benefícios à saúde?
R: Para o desenvolvimento do sistema nervoso central, auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares, ajuda na redução de LDL-c (“colesterol ruim”), regulação intestinal, revitalização da pele, auxilia na coagulação sangüínea, diabetes e determinados tipos de câncer (por ex. câncer de mama), atuam ainda na redução de processos inflamatórios e doenças auto-imunes.

A semente de linhaça também é rica em ácidos fenólicos, que agem como antioxidantes, e ligninas, substâncias com estrutura química muito semelhante ao estrogênio, exercendo atividade semelhante à deste hormônio. Devido a tal característica, é muito utilizado para minimizar os sintomas da menopausa, período em que os níveis de estrogênios são naturalmente diminuídos.

Existe mais de um tipo de linhaça? Em caso positivo, quais?  Existe diferença entre elas em relação aos ganhos nutricionais ou algum outro aspecto?
R: Existem dois tipos de semente de linhaça: dourada e marrom. Não existem diferenças na composição dos dois tipos, já que as duas são compostas pelos mesmos nutrientes e mantém o mesmo potencial funcional. Porém, a marrom é cultivada em regiões de clima quente e úmido e a dourada é plantada em regiões frias.

A linhaça é indicada para ser usada em quais tipos de preparos?
R: A utilização da semente de linhaça pode ocorrer de diferentes formas. Pode ser utilizada no complemento de inúmeras preparações: pães, bolos, biscoitos, cereais, e até adicionadas a sucos, saladas, sobremesas, iogurtes, frutas, frutas amassadas, leite e sopas. A semente de linhaça é usada como matéria-prima para a produção de óleo e farelo, sendo rica em fibras, proteínas e gordura

Na hora da compra, como escolher o alimento?
R: Tanto a linhaça moída quanto a semente inteira tem os mesmos benefícios, porém a moída é mais fácil para ingerir. Todos os benefícios da linhaça se potencializam quando a semente é moída ou triturada, pois como a casca da semente é muito dura, sua digestão é comprometida podendo passar direto pelo trato gastrointestinal, reduzindo a absorção de seus nutrientes.

Qual a melhor forma de conservação? Prazo de validade?
R: A melhor forma de conservação depois de moída, a semente deve ser mantida sob refrigeração e longe da luz, para evitar a oxidação das gorduras. Ficar atento ao prazo de validade contido nos rótulos das embalagens.

Qual a quantidade correta a se consumir por dia?
R: Para o consumo, é indicada a mistura de até quatro colheres de sopa rasa de farinha de semente de linhaça por dia, em saladas, iogurtes, cereais, vitaminas, confecções de pães, bolos (pra dosagem especifica é melhor consultar uma nutricionista).

Porque a linhaça ajuda a emagrecer?
R: Ajuda no processo de emagrecimento por que proporciona saciedade por mais tempo, auxiliando no processo de eliminação das fezes. É um bom desintoxicante, como conseqüência deixa você mais leve e disposta e com a pele mais bonita. É importante salientar que a farinha de linhaça isoladamente não promoverá a redução do peso. Para que a farinha de linhaça promova a perda de peso, é importante associá-la à dieta hipocalórica (de baixa caloria), que deverá ser nutricionalmente balanceada. Nesse caso, é importante que a pessoa procure a orientação de um nutricionista, que é o profissional capacitado para estabelecer um plano alimentar saudável e que contribuirá para a redução do peso.

Quais as culturas (países e regiões) que mais utilizam a linhaça em seus preparos?
R: É de origem asiática, a semente de linhaça pertence à família das Lináceas e é obtida a partir do linho, uma das plantas mais antigas da história. Apesar do consumo da linhaça ser relativamente novo na atualidade, esta é uma das sementes oleaginosas mais tradicionais de todos os tempos. É cultivada na Babilônia, Mesopotâmia e Egito há aproximadamente 7.000 anos.

Todas as pessoas podem consumir linhaça ou existe alguma restrição?
R: Sim. Não há restrições.

Referências
CREDIDIO, Edson. Propriedades Nutricionais da Linhaça., Associação Brasileira de Alimentos Funcionais, 2005. (www.sbaf.org.br)

A busca por uma alimentação alternativa é, sem dúvida, uma realidade nos dias de hoje. Consumidores que buscam novos e saudáveis hábitos alimentares têm nos produtos diet e light grandes aliados. Os mais jovens procuram os produtos geralmente com preocupações ligada à estética corporal e, entre os mais velhos, a procura prende-se à preservação ou manutenção da boa saúde.1

“Cada vez mais, encontramos produtos com características diversas nas prateleiras do supermercado”: “Isento de açúcar”; "Sem sódio"; "Teor reduzido de gorduras", entre outros. Essas informações precisam estar dispostas de forma clara e legível para os consumidores. 2
Os rótulos são a maior fonte de informações quanto à composição, qualidade e características dos alimentos e auxiliam para uma escolha certa e adequada na hora da compra.2

Alimentos diet são aqueles especialmente formulados e/ou produzidos de forma que sua composição atenda necessidades dietoterápicas específicas de pessoas com exigências físicas, metabólicas, fisiológicas e/ou patológicas particulares. Com restrição de açúcares (mono e dissacarídeos), sódio, gorduras, colesterol, aminoácidos ou proteínas, dietas para controle de peso, administradas por sonda, e modificadas em sua estrutura.3

O alimento diet, por exemplo, nem sempre é um alimento "sem açúcar"; na maioria das vezes há restrição de algum nutriente, seja esse carboidrato (açúcares), gordura, proteína ou outros. O mesmo é destinado às pessoas que não podem ou não querem ingerir determinado nutriente, podendo ser consumido por qualquer pessoa2, 4

Atualmente, os produtos dietéticos conquistaram seu espaço, e a indústria brasileira desse setor coloca à disposição do consumidor, cada vez mais, uma vasta gama de produtos contendo substitutos da sacarose, como,  por exemplo, balas, gomas de mascar, adoçantes de mesa, refrigerantes, sucos, chás, entre outros.

O termo light é utilizado para alimentos produzidos de forma que sua composição reduza em, no mínimo, 25% do valor calórico e/ou alguns nutrientes como: açúcares, gorduras saturadas, gorduras totais, colesterol e sódio, quando comparado ao valor normal.5

Portanto, com a retirada ou redução de algum nutriente, o alimento pode apresentar uma diminuição de calorias, e o consumidor que deseja emagrecer deverá estar atento à tabela nutricional, que é obrigatória, verificando se a redução é significativa e se justifica a substituição do alimento convencional por estes produtos, uma vez que costumam ser mais caros que os convencionais.5

Receitas Relacionadas:

Suco de Abacaxi com Hortelã Diet
http://morellinutricao.com.br/ler.php?pagina=5&artigo=27

Bolo de Cenoura Diet
http://morellinutricao.com.br/ler.php?pagina=5&artigo=26

Limonada Suíça Light
http://morellinutricao.com.br/ler.php?pagina=5&artigo=25

Estrogonofe Light
http://morellinutricao.com.br/ler.php?pagina=5&artigo=24

Referências Bibliográficas
1 LERAYER, Alda Luiza Santos et al. Nova legislação de produtos lácteos e de alimentos para fins especiais, diet, light e enriquecidos. São Paulo: Fonte, 1998.
2 ABIAD. Diet e Light. Disponível em: http://www.abiad.gov.br. Acesso em: 13 out 2005.
3 CÂNDIDO, Lys Mary Bileski, CAMPOS, Adriane Mulinari. Alimentos para fins especiais: Dietéticos. São Paulo: Varela, 1995.
4 TEIXEIRA NETO, Faustino. Nutrição clínica. Rio de Janeiro: Guanabara, 2003
5 INMETRO. Produtos Diet e Light – parte I e II. Disponível em: http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos. Acesso em: 17 mai 2005.

1) Faça pelo menos 3 refeições (café da manha, almoço e jantar) e 2 lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições;

2) Inclua diariamente 6 porções do grupo de cereais (arroz, milho, trigo, pães e massas), tubérculos como as batatas e raízes como a mandioca/macaxeira/aipim nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na forma mais natural.

3) Como diariamente pelo menos 3 porções de legumes e verduras como parte das refeições e 3porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.

4) Coma feijão com arroz todos os dias ou, pelo menos, 5 vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e bom pra saúde.

5) Consuma diariamente 3 porções de leite e derivados e 1 porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis.

6) Consuma, no máximo, 1 porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina. fique atento aos rótulos dos alimentos e escolha aqueles com menor quantidade de gordura trans.

7) Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas doces e outras guloseimas como regra da alimentação.

8) Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa. Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio) como hambúrguer, charque, salsicha, lingüiça, presunto, salgadinhos, conservas de vegetais, sopas, molhos e temperos prontos.

9) Beba pelo menos 2 litros (6 a 8 copos) de água por dia. de preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.

10) Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias e evite bebidas alcoólicas e o fumo. Mantenha o peso dentro de limites saudáveis.